quinta-feira, 24 de junho de 2010

Atos 26:1-32


Paulo discursa sobre o rei Agripa


Então Agripa disse à Paulo:

"Adiante. Conte-nos a sua história."

E assim,Paulo muito entusiasmado,apresentou a sua defesa dizendo:

"Estou muito contente.Rei Agripa",começou,"em poder apresentar a minha resposta diante de Vossa Majestade,pois eu sei que é conhecedor das leis e dos costumes dos judeus.Portanto,queira ouvir-me com paciência!

Como os judeus estão muito bem informados,eu recebi uma educação judaica completa desde a minha infância em Tarso e depois em Jerusalém,e vivi de acordo com ela.E se eles quiserem testemunhar,sabem que eu tenho sido o mais severo entre os fariseus,quando se trata da obediência às leis e aos costumes dos judeus.Porém,a verdadeira razão por trás das acusações deles é outra - é que eu estou aguardando o cumprimento da promessa de Deus feita aos nossos antepassados.As 12 tribos de Israel esforçam-se na religião,noite e dia para alcançar esta mesma esperança que eu tenho!

Todavia,ó Rei,em mim isto é um crime,dizem eles!Mas será crime crer na ressurreição dos mortos?Parece incrível à Vossa Majestade que Deus possa trazer os homens de volta à vida?

Eu costumava pensar que precisava fazer coisas terríveis contra os seguidores de Jesus de Nazaré.Aprisionei muitos dos cristãos de Jerusalém com autorização dos supremos sacerdotes;e quando eram condenados à morte,dava o meu voto contra eles.Eu utilizava tortura para fazer os cristãos por toda parte amaldiçoarem Cristo.Era contra eles com tal violência que persegui todos até em cidades distantes,em terras estrangeiras.

Eu ia numa missão assim para Damasco,com autoridade dos sacerdotes principais,quando no caminho,perto do meio-dia,ó Rei,brilhou sobre mim e meus companheiros,uma luz do céu,mais resplandecente que a do sol.Todos nós caímos no chão e eu ouvi uma voz falando-me em hebraico:"Saulo,Saulo,por que você está me perseguindo?Você está apenas fazendo mal à você mesmo."

'Quem é Senhor?Perguntei.

E o Senhor respondeu:'Eu sou Jesus aquele que você está perseguindo.Agora,levante-se e ande.Pois Eu apareci para nomear você meu servo e pregador da verdade.Você vai falar ao mundo a respeito desta experiência e de outras que aparecerei ainda à você.Você será protegido por Mim,tanto do seu próprio povo como dos estrangeiros.

Sim,vou enviar você aos estrangeiros,a fim de abrir os olhos deles para sua verdadeira situação,para que possam se converter e viver na luz de Deus,em lugar de viverem na escuridão de Satanás;para que possam receber perdão para os seus pecados e herança eterna juntamente com todos aqueles cujos pecados são purificados,e que são separados pela fé me Mim.

E portanto,ó Rei Agripa,eu não fui desobediente àquela visão do céu!Preguei abertamente aos que estavam em Damasco,e depois em Jerusalém e pela Judeia,e também aos não-judeus,dizendo QUE TODOS DEVEM ABANDONAR OS SEUS PECADOS E VOLTAR-SE PARA DEUS - E PROVAR SEU ARREPENDIMENTO COM A PRÁTICA DE OBRAS DIGNAS.

Os judeus me prenderam no templo por pregar isto e tentaram matar-me.Mas,Deus me protegeu,de modo que ainda estou vivo hoje para contar estes fatos a todo mundo,tanto aos grandes como aos pequenos.Eu não ensino nada,a não ser o que os profetas e Moisés profetizaram - que o Messias sofreria,e seria o primeiro a levantar-se dentre os mortos,para trazer luz aos judeus e também aos das outras nações."

De repente Festo gritou:"Paulo,você está louco.Os seus longos estudos perturbaram a sua cabeça!"


Paulo é interrompido por Festo


Mas,Paulo respondeu:"Não estou louco,Excelentíssimo Festo.Eu falo palavras de juízo perfeito,e o Rei Agripa,sabe destas coisas.Falo abertamente,porque tenho certeza de que estes acontecimentos são todos do conhecimento dele,pois não se passaram às escondidas.Rei Agripa,Vossa Majestade crê nos profetas?Eu sei que sim!"

Agripa o interrompeu:"Com provas pequenas assim,você espera que me torne cristão?"

E Paulo respondeu:"Que Deus permitisse que,embora as minhas provas fossem fracas ou poderosas,tanto Vossa Majestade quanto os demais que estão aqui neste auditório pudessem tornar-se o mesmo que eu sou,mas sem estas correntes."


Paulo teria sido solto se não tivesse

apelado para César


Então,o rei,o governador,Berenice e todos os outros se levantaram e saíram.

Quando conversavam entre si,depois disto,eles concordaram:"Este homem não fez nada que mereça morte ou prisão."

E Agripa disse à Festo:"Ele poderia ser solto,se não tivesse apelado para César!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu, o Senhor, o chamei em retidão; segurarei firme a sua mão. Eu o guardarei e farei de você um mediador para o povo e uma luz para os genti...