sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Paulo Perante Festo Apela para César


Três dias depois que Festo chegou à Cesaréia para assumir seu posto,partiu para Jerusalém onde os sacerdotes e outros líderes judaícos contaram a história deles a respeito de Paulo.Pediram que trouxessem Paulo imediatamente à Jerusalém,( o plano deles era ficar de tocaia e matar Paulo).Mas Festo respondeu que,como Paulo estava em Cesaréia e ele mesmo voltarias dali a pouco para lá,aqueles que entendiam desta questão,que voltassem com ele para o julgamento.

Uns oito ou dez dias depois ele voltou à Cesaréia,e no outro dia abriu o julgamento de Paulo.

Na chegada de Paulo ao tribunal,os judeus vindos de Jerusalém se juntaram em volta dele,fazendo muitas acusações sérias que não podiam provar.Paulo negava as acusações:"Eu sou inocente",dizia."Nada fiz contra a lei dos judeus,nem contra o templo,nem contra o governo romano."

Então Festo ansioso por agradar aos judeus,perguntou:"Você está disposto a ir à Jerusalém para lá ser julgado diante de mim?"

Mas Paulo respondeu:"Nunca!Eu invoco o meu privilégio de uma audiência diante do próprio imperador.O senhor sabe muito bem que eu não tenho culpa nenhuma.Se fiz alguma coisa para merecer a morte,não me recuso a morrer!

Mas sou inocente,nem o senhor,nem outro qualquer,tem o direito de me entregar a esses homens para que me matem.

Eu apelo para César."

Festo consultou os conselheiros dele então respondeu:"Muito bem,você apelou para César e para Cesar irá!"


Festo expõe à Agripa o caso de Paulo


Poucos dias depois chegou o rei Agripa com Berenice para uma visita à Festo.Como a permanência deles durou diversos dias,Festo discutiu com o rei o caso de Paulo."Existe aqui um preso",disse ele,"cujo caso foi me deixado por Félix.Quando estive em Jerusalém os sacerdotes principais e outrois lideres judaícos me contaram o lado deles nessa história e me pediram que o matasse,naturalmente eu chamei logo a atençao para o fato de que a lei romana não condena um homem antes de ser julgado.Concede-se à ele uma oportunidade de defesa.Face a face com seus acusadores.

Quando eles chegaram aqui para o julgamento,logo no outro dia eu tratei do caso e mandei chamar Paulo.Porém as acusações contra ele não foram absolutamente o que eu esperava que fossem.Eram alguma coisa a respeito da religião deles,e sobre um certo Jesus,que morreu,mas Paulo insiste em que Ele esta vivo!Eu fiquei sem jeito sobre a maneira de resolver um caso dessa natureza e perguntei à ele se estava disposto a ser julgado por estas acusações em Jerusalém.

Mas Paulo apelou para César!Então o mandei de volta à prisão até poder enviá-lo ao imperador."

"Eu gostaria de ouvir pessoalmente este homem disse Agripa".

E Festo respondeu:"O senhor O ouvirá amanhã."


Festo ,de novo,fala à Agripa


Assim foi que no outro dia,depois que o rei e Berenice tinham chegado com grande pompa no tribunal,acompanhados de oficiais miliotares e outros homens importantes da cidade,Festo mandou trazer Paulo.

Então Festo disse:"Rei Agripa e demais pessoas presentes,este é o homem cuja morte é exigida tanto pelos judeus deste lugar como pelos de Jerusalém"

Porém na minha opinião,ele não fez nada para merecer a morte.Contudo,ele requereu que o seu caso fosse a César,e eu não tenho outro caminho a não ser fazer isto.Mas que vou escrever ao imperador?Porque não há nenhuma acusação real contra ele!Por isso eu o trouxe diante dos senhores todos,e especialmente do rei Agripa,afim de que seja interrogado e depois eu possa saber o que escrever.

Poruqe não parece sensato mandar um preso ao imperador sem poder registrar nenhuma acusação contra ele.

Atos25:1-27



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu, o Senhor, o chamei em retidão; segurarei firme a sua mão. Eu o guardarei e farei de você um mediador para o povo e uma luz para os genti...